Como levar em conta os projetos de vida para a educação integral?

Três princípios para promover o desenvolvimento emocional, social, cultural e físico, além do cognitivo.

Como levar em conta os projetos de vida para a educação integral? Os projetos de vida devem ser uma referência para o desenvolvimento emocional, social, cultural e físico, além do desenvolvimento cognitivo, ligado ao conhecimento. Para entender isso, conversamos com Shana Aline, formadora do Instituto iungo, e listamos três premissas para você trabalhar na perspectiva da educação integral, considerando os projetos de vida dos estudantes. 

1 – Educação se faz com o estudante

O primeiro ponto para levar em conta os projetos de vida para a educação integral é a consciência de que a educação se faz junto com o estudante, e não para o estudante. É claro que os professores são essenciais nesse processo, pois ao criarem os percursos de aprendizagem, eles precisam pensar em quem vai realizar cada percurso. Parece uma diferença sutil, mas, quando o planejamento leva em conta os estudantes e seus projetos de vida, a perspectiva muda. Assim, a escola ganha mais sentido e o estudante se reconhece como parte fundamental desse coletivo que é a escola. 

2 – Avaliação formativa na escola

O segundo ponto é ressignificar o papel da avaliação. Para isso, a avaliação tem que servir não como um indicador pontual de desempenho, mas como uma ferramenta para o professor e o estudante analisarem os avanços e os pontos de atenção, em diálogo com os projetos de vida, para seguir com a aprendizagem.

Além disso, construir projetos de vida implica não só o conhecimento dos conteúdos, mas habilidades, competências, atitudes e valores. Portanto, a avaliação deve contemplar esses aspectos. 

3 – Projeto de vida é para o agora

O terceiro ponto é a compreensão de que o projeto de vida não é algo distante, no futuro. Ou seja, os projetos de vida dos estudantes afetam diretamente suas decisões e ações hoje. O professor que propõe percursos de aprendizagem focados em situações, problemas e dilemas éticos reais dos estudantes, está levando em conta seus projetos de vida para o desenvolvimento integral. Então, esses percursos promovem a reflexão sobre escolhas, formas de agir e de interagir, envolvem diferentes dimensões da vida do estudante e o reconhecimento do coletivo. Portanto, para além dos objetos de conhecimento das áreas, esses percursos de aprendizagem fomentam o exercício de habilidades e competências para a vida real e no presente. 

Projetos de vida na escola: Cartografias iungo

Para apoiar os educadores nas aulas de projetos de vida, a formação Cartografias iungo está com inscrições abertas até 28/06.

Professores e gestores escolares que atuam com estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio podem se inscrever em dois cursos:

  1. “Cartografias: mapas de projetos de vida”, com conteúdo  introdutório;
  2. “Cartografias: planejando aulas de Projetos de Vida”, que propõe, com atividades práticas, a construção de um plano de aulas. 

Acesse o site e faça sua inscrição!

Quem fez, recomenda!

imagem de Veridiana, professora cursista do Cartografias
Veridiana R. A. Sakata – Pedagoga – São Paulo (SP)

“Recomendo muito o Cartografias iungo para meus colegas e todos os professores, pois, além de ser um curso que traz muitas reflexões sobre a prática em sala de aula, é de uma qualidade incrível de conteúdo. Sou muito grata pela oportunidade. Estou mais segura no que faço e penso sobre projeto de vida para contribuir no desenvolvimento dos meus alunos.

 

imagem de José, professor cursista do Cartografia
José Carlos A. D. Junior, professor de Educação Física e Convivência Ética – São Paulo (SP).

“Eu recomendo o curso porque é on-line e de autogestão. Você consegue fazer no seu tempo livre, no seu contra-turno. Na minha prática docente, ajudou a pensar melhor sobre a individualidade dos alunos e ajudá-los a entender, tema a tema, os objetivos e o propósito das nossas aulas”.

O iungo também disponibiliza gratuitamente uma série de materiais pedagógicos sobre projetos de vida, com videoaulas, podcasts e livros.