pesquisa

No iungo, a gente acredita no trabalho baseado em evidências. E também que escutar os professores é essencial para transformar a educação.

Por isso, nos unimos ao Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas da Universidade de São Paulo (NAP/USP) que ouviu professores de escolas públicas de todo o Brasil.

O programa “O professor da escola pública brasileira: seus sonhos, desejos e projetos de vida” traz uma análise baseada em duas pesquisas: a primeira, “O professor da escola pública brasileira: seus desejos e projetos de vida”, e a segunda, “A escola pública dos sonhos para os educadores brasileiros”.

Ambas com questionários abertos, aplicados em 2021, durante as aulas remotas na maior parte do país. Os professores tiveram liberdade para apresentar seus projetos de vida e a escola dos sonhos, com respostas dissertativas.

Em destaque, a pesquisa “Desejos e projetos de vida docentes” mostra que 8 em cada 10 professores brasileiros querem continuar dando aulas, apesar dos problemas históricos da Educação Pública, agravados pela pandemia.

De acordo com a pesquisa, coordenada por Valéria Arantes – professora Livre-Docente da Faculdade de Educação da USP e diretora do NAP/USP, dentre os 2 mil professores, 83% indicaram que a Educação ocupa papel central em seus projetos de vida e que pretendem seguir atuando na educação pública (1669 entrevistados). Os dados surpreendem, principalmente, porque as pesquisas foram feitas em 2021 – cenário ainda de suspensão das aulas presenciais devido à pandemia da Covid-19, que causou grande impacto no cotidiano dos professores, com maior estresse e pressão para que reinventassem sua forma de trabalho em um curto espaço de tempo.

Desejos e Projetos de Vida docentes

Confira algumas das respostas espontâneas e anônimas dos professores participantes da pesquisa.

Veja a reportagem sobre esta pesquisa veiculada na CNN Brasil em 31/06/22:

Em destaque, a pesquisa “A escola pública dos sonhos para os educadores brasileiros” revela que 97% dos professores a escola ideal seria diferente da atual e mais inovadora.

De acordo a segunda pesquisa, coordenada por Ulisses Araújo – professor titular sênior da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP e coordenador Científico do NAP/USP, dos 1500 professores ouvidos, para 97% (1456 entrevistados) a escola ideal seria diferente da atual e mais inovadora: com metodologias ativas (que focam no protagonismo dos estudantes em seu processo de aprendizagem), melhor infraestrutura, relações mais democráticas e um currículo mais flexível e conectado à formação cidadã.

A escola pública dos sonhos para os educadores brasileiros

Confira algumas das respostas espontâneas e anônimas dos professores participantes da pesquisa.

Veja a reportagem sobre esta pesquisa veiculada na CNN Brasil em 01/07/22: